Aquela obrigação de fazer jejum nas 12 horas anteriores a exames de sangue não é mais uma unanimidade entre os médicos e os laboratórios de análises clínicas.

Hoje, nem todo exame demanda tanto tempo de jejum. Por isso, alguns laboratórios do país estão começando a deixar de pedir que os pacientes fiquem sem comer por períodos tão longos antes da coleta de sangue, ou estão exigindo jejum de apenas 2 a 4 horas.

Devido a avanços tecnológicos, alguns exames não mais são influenciados pela alimentação.

Mas o fim do jejum não é um consenso entre os laboratórios e os médicos, sendo que a maioria ainda pede o jejum por hábito. A Sociedade Brasileira de Patologia Clínica diz que ainda é cedo para mudar totalmente uma prática tão antiga. “São exames que os estudos dos valores de referência foram feitos em jejum, então, para que o médico interprete esses exames ele precisa ter um parâmetro”, diz a vice-diretora científica da SBPC/ML, Luisane Vieira.

Luisane afirma que apenas alguns exames estão inclusos nessa medida. Testes mais populares como o de colesterol, ureia, creatinina, sódio e potássio, hemogramas e de grande parte dos hormônios já podem ser realizados sem o jejum. Porém exames para dosagem de glicose e triglicérides continuam necessitando de jejum.

É sempre importante alinhar com o médico e com o laboratório se o jejum é necessário.